Notícias

Conheci o Estatuto da Criança e do Adolescente aos 8 anos de idade - Anna Luiza Calixto

19/09/2017
Conheci o Estatuto da Criança e do Adolescente aos 8 Anos de idade - Anna Luiza Calixto

"Conheci o Estatuto da Criança e do Adolescente aos 8 anos de idade" - Anna Luiza Calixto

Anna Luiza Calixto tinha de 7 para 8 anos quando se deparou com um livro bem pequenininho, mas com tamanha importância: o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). “Nessa idade eu sempre escrevia minhas próprias histórias em folha de almaço e pedia para a escola deixar na biblioteca. Fui conhecer o ECA porque eu sempre gostei muito de ler, e fiquei muito curiosa sobre uma lei que era voltada exatamente para mim e outras crianças!”, explica a jovem.

Contar histórias sempre foi algo que Anna gostou de fazer. Hoje, com 17 anos, a jovem tem 3 livros publicados — a maior parte sobre direitos da infância e adolescência — . As publicações só saíram do papel com o apoio das redes em que têm atuado, incluindo o poder público da cidade de Atibaia, em São Paulo, onde mora e estuda. E talvez tenha sido contando histórias e exercitando sua voz, que Anna fez uma das descobertas mais importantes de sua vida: a criança e jovem podem aprender a sonhar, serem protagonistas de suas próprias trajetórias e terem suas vozes ouvidas.

E foi assim que Anna seguiu. Até que em 2008, ela foi convidada para participar de uma Conferência sobre Direitos da Criança e do Adolescente. “Em minha primeira Conferência, me deparei com uma situação totalmente nova: o conhecimento de que a minha voz estava ali presente, que eu podia me expressar, poderia participar da construção de políticas públicas voltadas para garantir os meus direitos. Dali em diante eu não parei mais”, completa.

De 2008 até os dias de hoje, em que ela divulga o projeto Os Cinco Passos — Formando Protagonistas em Sala de Aula, foram muitos anos de pesquisa, escrita e atuação. Só em 2016, ela levou sua palestra para mais de 9 mil crianças e adolescentes da escola pública.

Anna explica que protagonismo é uma palavra que vem de duas raízes gregas: “protos”, que significa o primeiro ou o principal, e “agonistes” que significa luta, guerra ou batalha. “Protagonista é aquela pessoa que se destaca no meio de convívio por ter a oportunidade de participar, de levar seus ideais. Mas é muito difícil haver um público infanto-juvenil que se destaque e tenha oportunidade de trazer suas próprias ideias”.

A Fundação Abrinq teve a oportunidade de conhecer Anna na última visita do Programa Prefeito Amigo da Criança à cidade de Atibaia. De intensa atuação e articulação no município, ela comenta que enxerga Atibaia como pioneira em diversos campos e como uma cidade que entende que a participação crianças e adolescentes é muito importante.

“É um orgulho fazer parte de um município que tem um trabalho de assistência social tão intensificado e que entende a importância de ouvir nossas crianças e adolescentes, e os convida a ocupar espaços. É necessário entender que a criança e o adolescente não são o futuro da nação, mas sim o presente finaliza.

Tags

Acompanhe a Fundação Abrinq nas redes sociais