Notícias

Crianças aprendem na prática sobre alimentação saudável cuidando de hortas pedagógicas em João Pessoa (PB)

Wed, 10/30/2019 - 11:55
Crianças aprendem na prática sobre alimentação saudável cuidando de hortas pedagógicas

Durante a semana do Dia Mundial de Alimentação, celebrado em 16 de outubro, a Fundação Abrinq visitou escolas da Rede Municipal de João Pessoa (PB), participantes do Projeto Hábitos Alimentares Saudáveis. Desde novembro de 2017, com o apoio da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec) do município e da Fundação Carrefour, a iniciativa promove hábitos alimentares saudáveis em escolas da capital paraibana, estimulando o direito à saúde para crianças e adolescentes. 

Para isso, o projeto qualifica cozinheiros, profissionais da área da saúde e educação para desenvolverem ações e disseminarem conhecimentos que estimulem a educação ambiental, a alimentação saudável e a nutrição adequada às crianças, adolescentes e suas famílias. A temática do projeto é trabalhada por meio da plantação e cultivo de hortaliças e frutas em hortas pedagógicas, produzidas este ano em oito unidades de ensino. 

A primeira ação da semana aconteceu na Escola Municipal Virgínius da Gama e Melo, no bairro de Mangabeira, onde alunos puderam apoiar a revitalização da primeira horta escolar implantada no município. 

“Tínhamos um espaço sem serventia, que um dia havia sido utilizado para plantação. Com a parceria da Fundação Abrinq e da Secretaria de Educação, pudemos reativar o espaço. Então, convocamos os professores e alunos para ajudarem na revitalização e na produção da nova horta”, conta Wiltamira Ferrreira da Paixão Costa, gestora administrativa da Escola Virginius da Gama e Melo. 

A escola sempre incentivou a alimentação saudável, ao incluir alimentos como frutas e verduras no cardápio das merendas. Segundo a nutricionista da unidade, Priscila de Almeida Silva, “o trabalho é de fundamental importância, já que os alunos estão construindo um saber sobre os alimentos a partir do início, por meio da plantação e da colheita”. Para ela, a ação proporciona ainda um enriquecimento das refeições oferecidas às crianças e adolescentes no ambiente escolar, além de permitir a reciclagem das sobras dos alimentos consumidos, que antes não eram aproveitados e ajudam no desenvolvimento da horta. 

A secretária da Sedec, Edilma da Costa Freire, esteve presente em todas as visitas e falou sobre a importância da parceria para os profissionais e alunos das escolas. “É muito importante estarmos abertos para receber parceiros para a construção de uma educação cada vez mais significativa na vida dos nossos estudantes. Demos início a horta pedagógica com uma expectativa de ampliação para toda a rede de ensino do município e, com o apoio da Fundação Abrinq, conseguimos de fato concretizar a nossa intenção, que é incentivar o hábito da alimentação saudável, o gosto pela terra, pela natureza e quem sabe a busca por uma profissão na área”, comenta Edilma.

Durante o projeto, orientados também por profissionais do Programa de Residência Pedagógica da Universidade Federal da Paraíba, os alunos das escolas colocam as mãos na terra e montam a própria horta, plantando alface, coentro, couve, tomate, brócolis e outros alimentos. Na prática, as crianças aprendem a cuidar do solo, semear, acompanham o desenvolvimento dos alimentos e os consomem de maneira natural. Além disso, usam materiais recicláveis como o pneu, que serve de canteiro para as mudas e sementes, e os restos de alimentos, que servem de adubo.  

Mesmo com o trabalho feito dentro e fora da sala de aula, a iniciativa ultrapassa os muros da escola e chega até a casa das crianças. Com o conhecimento adquirido, os pequenos pouco a pouco transformam também a rotina alimentar dos pais e familiares. 

"A horta é muito importante para nós! Fizemos ela com muito amor e carinho, regamos todos os dias, cuidamos, para termos uma alimentação saudável e melhor. Espero que esse projeto inspire e continue não só nessa, mas em muitas outras escolas", explica Marcielly Silva Soares, de 12 anos, aluna da EMEIF Anita Trigueiro do Vale. 

Outra preocupação do projeto é incentivar o consumo de alimentos sem aditivos químicos e conservantes, que também ajuda na prevenção de doenças crônicas.

“Desde o início quis ajudar a revitalizar o espaço, que era coberto só por mato e lixo. Hoje, somos o exemplo da escola. Tudo que plantamos aqui é saudável e sem agrotóxico. Espero que quando eu sair daqui a horta seja cuidada por outras mãos", conta Gabriel Silva dos Santos, de 16 anos, aluno do 9º ano da Escola Virginius da Gama e Melo. 

Com o sucesso da iniciativa, até 2020, a Prefeitura de João Pessoa pretende implantar a horta pedagógica em toda Rede Municipal de Ensino. O objetivo é construir cerca de 200 hortas em todas as creches e escolas do município. 

“Começamos o projeto das hortas pedagógicas em apenas 12 escolas da nossa rede e, hoje, já temos cerca de 73 hortas implantadas em creches e escolas municipais”, finaliza Daniel Pinto Bandeira, coordenador de Educação Ambiental da Secretaria de Educação de João Pessoa. 

Confira as escolas participantes do Projeto Hábitos Alimentares Saudáveis, em 2019:

•    CREI Manoel Soares Rodrigues;
•    CREI Márcia Suênia Madruga Alves da Silva;
•    CREI Olga Maria Leite de Figueiredo;
•    CREI Professor José Gadelha da Costa Filho;
•    EMEF Ana Cristina Rolin Machado;
•    EMEF Virginius da Gama e Melo;
•    EMEIF Anita Trigueiro do Vale;
•    EMEIF Professor João Gadelha de Oliveira Filho.