A Fundação

Diante da ocorrência no Brasil de inúmeros episódios de violações de direitos de crianças e adolescentes, como homicídios e trabalho infantil, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq) criou, em 1989, uma Diretoria de Defesa dos Direitos da Criança — núcleo que futuramente se tornaria a Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente.

O que motivou a iniciativa foi a crença de que não seria possível esperar que o poder público resolvesse sozinho tais questões. Havia a convicção de que o trabalho em favor das crianças e dos adolescentes em situação de vulnerabilidade no país não deveria ser uma ação individual, mas sim um esforço coletivo de toda a sociedade.

No início dos trabalhos, foram realizadas diversas ações em parceria com outros setores da sociedade, firmando desde então as características da entidade que são preservadas até os dias atuais: foco na mobilização e participação da sociedade. Dessa forma, a Fundação Abrinq manifesta desde sua criação a vocação de entidade de assessoramento, defesa e garantia de direitos capaz de intermediar positivamente a relação entre quem precisa de recursos e quem dispõe deles.

Desde 13 de fevereiro de 1990, a Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente atua alinhada aos preceitos estabelecidos na Constituição Federal de 1988 e na Convenção Internacional dos Direitos da Criança, da ONU, de 1989.

A Fundação Abrinq carrega em seu DNA a atuação em incidência política; a implementação de programas e projetos; e o desenvolvimento de ações de comunicação e engajamento que buscam, sempre, a promoção dos direitos das crianças e dos adolescentes nas diferentes realidades brasileiras.

Apoie você também e seja um doador. Acesse e saiba mais www.doeagora.org.br

Confira aqui o estatuto social da Fundação Abrinq.